gallery/logo
gallery/hoverasset 22

USS ENTERPRISE 1701-C

Luiz Renato Fogagnolo

Fabricante: AMT/Erlt, ano 1998

Escala: 1:1400

A USS Enterprise (NCC-1701-C), também conhecida como Enterprise C, é uma nave estelar ficcional (Classe Ambassador, da Frota Estelar), exibida na série de televisão Star Trek The Next Generation, no ano de 1990, no episódio Yesterday Enterprise. É a quarta nave incorporada desde a fundação da Federação Unida dos Planetas a ostentar o nome Enterprise. No século XXIII, a nave, comandada pela capitã Rachel Garrett, é destruída ao defender um posto avançado Klingon de Narendra III contra um ataque Romulano. A destruição da Enterprise C enquanto defendia os Klingons marcou o início da paz entre a Federação dos Planetas Unidos e o Império Klingon.

O kit foi produzido em 1998 pela empresa norte-americana AMT/Erlt, na escala 1:1400. Possui tamanho aproximado de 37 cm (da proa à popa) e seção disco de 23,5 cm de diâmetro. Convertendo o fator escala, a nave teria tamanho real de 510 m (da proa à popa) e seção disco com 329 m de diâmetro.

gallery/inter
gallery/int2
gallery/int3
gallery/int4
gallery/int5

Apesar de o kit vir com algumas peças transparentes, ele não foi produzido para ser iluminado, e as janelas são moldadas em baixo-relevo, em um total exato de 1.438 janelas (só na seção disco são 1.068 janelas, e na seção inferior são 370). A pintura também é não é tão simples, pois há um “aztec” na maior parte da fuselagem, em tonalidades de cinza e azul.

Para dar maior realidade ao modelo e na intenção de deixá-lo próximo ao que se viu na televisão, o autor decidiu criar um sistema eletrônico com leds e fibras óticas internas para iluminar toda a nave, desde motores, defletor principal e, inclusive, as janelas. Os leds iluminam diretamente os motores e o defletor da Enterprise, mas as janelas necessitaram de fibras óticas para receber iluminação por igual. Como as janelas deste modelo são retangulares com extremidades arredondadas, foi necessário fazer dois furos de 0,5 mm de diâmetro para cada janela usando furadeira e broca especial. O autor iluminou mais de 50% das janelas; portanto, fez mais de 1.438 furos, e para cada orifício, um pedaço de fibra ótica de 0,5 mm de diâmetro foi instalado.

gallery/int6

No final da montagem foi instalada uma fonte elétrica de 12 volts para alimentar todo o modelo. Foi uma montagem longa, feita aos poucos, tendo demorado seis meses para concluí-la. O resultado é o que se vê nas fotografias, e o autor pretende ainda montar outras versões da mesma nave com o mesmo sistema de iluminação!