gallery/logo

MONTANDO O AIRFIX SdKFz-250/3 ROMMEL’S HALF TRACK

Guilherme Perdomo de Castro

gallery/gui2
gallery/gui6

Conforme havia prometido na edição anterior, arregacei as mangas e iniciei a construção deste veterano kit de minha coleção. Como já havia dito, seria a montagem de um kit de militaria após o hiato de aproximadamente 20 anos, pois conforme minha matéria na Hobby News, só apresentou aviação militar e uma lancha de desembarque e uma lancha torpedeira, em mais de dez anos de artigos e reviews sobre plastimodelismo. Mas criei mais vontade (e muita bronca) em ver meu filho, Marcos, montando Stuarts, Shermans e outros 1/35 de minha própria coleção, sob a alegação de “você não vai montar mesmo...”. 

gallery/gui2 (1)
gallery/gui1
gallery/gui3
gallery/gui4

 

MONTAGEM, PINTURA e EFEITOS

Acompanhando o manual, iniciei a separação das peças indicadas e a limpeza das mesmas, pois algumas delas são pequenas e frágeis, mesmo para a escala 1/32. Os componentes que formam o conjunto do interior foram devidamente separados, pois existe o armamento leve, de mão (três fuzis, uma MP 40, magazines de munição e até uma pistola de sinalização) usado pela tripulação. 
Comecei a pesquisar a pintura do interior, pois esse teria de ser o do Rommel em operação no Afrika Korps. Pelo que verifiquei, esse lote era totalmente pintado dentro do padrão da Wehrmacht, com sua tradicional cor um pouco mais clara que o Panzer Grey. O equipamento de rádio foi montado, sendo corrigidos alguns sulcos de injeção, com massa plástica e algumas gotas de Bonder. Com as laterais e peças que formariam o interior devidamente prontas, iniciei a aplicação de primer para em seguida, pintar o interior e assoalho na cor Panzer Grey, misturado com algumas gotas de cinza claro. 
O encosto dos assentos do motorista e passageiro, bem como do assento da tripulação, localizado no lado direito, foram pintados na cor X-9 Brown da Tamiya, tendo sido usado o Diluente Banzai, fabricado por um dos associados do GPPSD, que aproveitei para fazer um teste completo usando esse kit como base. A aplicação do marrom foi feito com pincel, com o diluente mostrando-se extremamente positivo na aplicação, tornando a cor e textura extremamente uniforme e lisa. 
Na sequência, utilizei outras tintas mais claras para fazer o efeito de couro, sempre com pincel e com o mesmo diluente, com um resultado que me surpreendeu. As partes de madeira dos fuzis, e o metálico de todas as armas, foram pintados no pincel, com tintas Mr. Hobby e diluídos da mesma forma. Antes de colar as peças que formam o interior, realizei o trabalho de desgaste e envelhecimento (weathering), utilizando a técnica de pincel seco com a tinta Silver da Mr. Hobby e também fazendo “filtro“ com a tinta preta à base d’água da Vallejo. 
Para dar a impressão de sujeira de areia no interior do assoalho do veículo, apliquei uma fina camada de weathering pastel sand PW-03 da Mr. Hobby, usando o fixador líquido White Spirit e  secador de cabelo  para aderência do pigmento. 
A montagem das partes que formam o chassi do veículo foi realizada com um pouco de dificuldade, pois o plástico, por estar guardado por três décadas estava um pouco ressecado e desnivelado. Com paciência, bonder e pedaços de plasticard, resolvi a questão. Depois, foi vez de colar as peças externas, como pára-lamas, escotilhas e equipamentos externos. Após isolar o interior com fita crepe, iniciei a aplicação do primer, em preparação para a pintura definitiva. A opção recaiu sobre o ADLER, com aparência diferente por ser camuflado em duas cores, pois a maioria dos modelistas sempre reproduz o GREIF. A cor primaria aplicada foi o German Grey da Mr. Hobby, que depois de isolado, foi complementado pela cor German Sand da marca Multicores, sendo que na diluição das mesmas usei o diluente Banzai no aerógrafo, pois, apesar de composições e marcas diferentes das tintas, a textura depois de aplicada foi incrivelmente satisfatória! 
Depois de retiradas as fitas protetoras, foi a vez de realizar o trabalho externo de desgaste e envelhecimento. Graças aos materiais de apoio disponíveis no mercado, como os pigmentos da Mr.Hobby e Revell, esta fase é muito divertida e gratificante, pois permite ao modelista , com um bom material de pesquisa seja pela internet ou publicações especializadas , dar asas a imaginação. Sempre contando com as dicas e orientações do Marcos - que tem mais experiência em montar blindados que eu, que monto mais aviação militar - e, para dar mais aparência de uso, como efeitos de arranhado e descascado em alguns pontos da carroceria do veículo, utilizei um pincel firme e bem fino ao aplicar a cor German Brown da Vallejo. 
No dia seguinte, apliquei uma camada de cera liquida Future com a ajuda do aerógrafo para, depois de algumas horas, aplicar os decais. Depois da secagem, realizei alguns desgastes por cima dos decais aplicados, para uniformizar a aparência geral do modelo. Após algumas poucas horas foi só aplicar Verniz Dullcote da Testors, colocar as lagartas e curtir o trabalho, que foi um pouco cansativo, dado ao trabalho de recuperar ou desentortar algumas peças, mas muito compensador. 
Minha estante de kits vai ficar com um vistoso veículo do Mal. Rommel entre tantos aviões, dando um toque diferente à coleção.

gallery/gui8
gallery/gui7
gallery/hoverasset 22